Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Tribunal do Egito condena ex- funcionário de Morsi à morte sob acusação de terrorismo

Foto tirada durante uma visita guiada organizada pelo Serviço de Informação do Estado do Egito, em 11 de fevereiro de 2020 [Khaled Desouki/ AFP via Getty Images]

Um tribunal egípcio sentenciou no domingo Ramy Mohamed Shehata, um técnico de engenharia que serviu no gabinete do falecido presidente Mohamed Morsi, à morte e condenou seu irmão, Radi Mohamed Shehata, a dez anos de prisão sob acusações de terrorismo.

O tribunal considerou os dois réus culpados de fabricação e uso de artefatos explosivos contra civis e alvos públicos, incluindo quartéis da polícia, levando à morte uma pessoa.

A promotoria acusou os réus de ingressarem em uma organização proibida em 2014 em referência à Irmandade Muçulmana. O Egito proibiu o grupo em 2013 depois que o presidente em exercício, Abdel Fattah Al-Sisi, deu um golpe contra o governo democrático do país, chefiado pela Irmandade.

LEIA: Dois anos após morte de Morsi, nenhuma investigação ou justiça

Categorias
ÁfricaEgitoNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments