Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Bielo-Rússia alega ameaça de bomba do Hamas por desvio de avião

Bielo-russos que vivem na Polônia e poloneses que os apoiam seguram um cartaz com os dizeres 'Roman Protasevich' durante uma manifestação em frente ao escritório da Comissão Europeia em Varsóvia, em 24 de maio de 2021 [Wojtek Radwanski/AFP via Getty Images]
Bielo-russos que vivem na Polônia e poloneses que os apoiam seguram um cartaz com os dizeres 'Roman Protasevich' durante uma manifestação em frente ao escritório da Comissão Europeia em Varsóvia, em 24 de maio de 2021 [Wojtek Radwanski/AFP via Getty Images]

Bielorrússia alegou que uma ameaça de bomba do Hamas foi o motivo pelo qual desviou um avião para Minsk, onde as autoridades prenderam um jornalista a bordo.

A reclamação foi provavelmente uma tentativa de conter o clamor internacional após a prisão de Roman Protasevich, um jornalista crítico do presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, no domingo.

Protasevich, 26, estava a bordo de um voo da Ryanair com sua namorada, Sofia Sapega, 23, da Grécia para a Lituânia. Quando sobrevoou o espaço aéreo da Bielorrússia, um avião de guerra o forçou a fazer um pouso não programado em Minsk.

Sua namorada também foi presa.

No dia seguinte, as autoridades bielorrussas divulgaram o que supostamente era o texto do alerta de bomba. No entanto, o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhoum, negou que seu grupo tivesse qualquer conhecimento ou conexão com a ameaça.

Monika Simkiene, outra passageira do avião, disse à AFP que, quando os passageiros foram informados que o avião estava pousando em Minsk, Protasevich entrou em pânico: “Ele se voltou para as pessoas e disse que enfrentaria a pena de morte”.

“Não faça isso, eles vão me matar, eu sou um refugiado”, disse ele a um comissário de bordo.

LEIA: O Hamas faz chamado por levante popular em toda Palestina

O jornalista disse a amigos que um homem que ele acreditava ser dos serviços de segurança o estava seguindo no aeroporto de Atenas.

Protasevich foi cofundador do canal Nexta no Telegram, que – com dois milhões de assinantes – permitiu que membros da oposição contornassem a censura estadual para mobilizar protestos de rua.

Houve manifestações em massa em agosto do ano passado, depois que Lukashenko alegou vitória nas eleições que a oposição diz terem sido fraudadas.

O presidente está no poder há 27 anos.

Junto com Stephan Svetlov, Protasevich foi colocado em uma lista de “indivíduos envolvidos em atividades terroristas”.

Os governos ocidentais agora ameaçam impor novas sanções à Bielo-Rússia.

A União Europeia convocou o embaixador da Bielo-Rússia após o movimento contra o avião, que voava entre dois países membros do bloco.

O primeiro-ministro tcheco disse: “O escandaloso incidente na Bielo-Rússia mostra sinais de terrorismo de estado e é inacreditável”.

O presidente da Comissão da UE, Urusal von der Leyen, disse que foi um “sequestro”.

O Reino Unido solicitou às companhias aéreas que evitem o espaço aéreo bielorrusso e uma licença que permitia à companhia aérea bielorrussa Belavia operar no Reino Unido estava sendo suspensa.

Categorias
BielorrússiaEuropa & RússiaGréciaNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestinaReino UnidoUnião Europeia
Show Comments
Show Comments