Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Hamas exorta resistência à expulsão de palestinos de Sheikh Jarrah por Israel

Ativistas palestinos, israelenses e estrangeiros erguem cartazes durante um protesto contra a ocupação e a expansão dos assentamentos ilegais de Israel no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental ocupada, 19 de março de 2021 [Ahmad Gharabli/AFP via Getty Images]
Ativistas palestinos, israelenses e estrangeiros erguem cartazes durante um protesto contra a ocupação e a expansão dos assentamentos ilegais de Israel no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental ocupada, 19 de março de 2021 [Ahmad Gharabli/AFP via Getty Images]

Em comunicado, o movimento palestino Hamas fez um novo apelo por resistência contra os atos de despejo e deslocamento à força conduzidos por Israel contra famílias palestinas no bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental ocupada.

“Confrontar os planos israelenses é um dever nacional que requer de todos os palestinos uma postura firme”, destacou o Hamas. “Temos confiança de que os palestinos não pouparão esforços para defender a cidade sagrada”.

“Hoje, enfrentamos a mentalidade das gangues israelenses — a mesma mentalidade que perseguiu, assassinou e deslocou palestinos durante a Nakba, quando as famílias Al-Ja’ouni e Al-Sabbagh foram expulsas de suas casas em Yafa e forçadas a viver em Jerusalém”.

Nakba — em árabe, catástrofe — é o termo utilizado pelos palestinos para descrever a criação do Estado de Israel via limpeza étnica, em 1948.

“O cenário de injustiça e crueldade imposto contra as famílias de Sheikh Jarrah e a expulsão de suas casas, pela segunda vez, assim como o deslocamento de crianças, mulheres e idosos, demanda cuidadosa resistência à arrogância sionista, sob todas as formas, para responder aos crimes da ocupação e suas gangues coloniais”, prosseguiu o Hamas.

O movimento palestino exortou ainda a Liga Árabe e a ONU a assumir posições firmes contra os crimes de Israel: “A política fascista da ocupação israelense inclui expulsar os palestinos de Jerusalém de suas casas e tomar suas propriedades aos olhos de todo o mundo”.

Por fim, o Hamas lamentou que a comunidade internacional “continua assistindo os flagrantes crimes racistas de Israel e permanece em silêncio”.

LEIA: Dezenas de famílias palestinas são ameaçadas pelo despejo forçado

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments