Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Egito agradece a mediação da Rússia na disputa da barragem na Etiópia

Uma visão geral da Grande Barragem da Renascença Etíope (GERD), perto de Guba, na Etiópia, em 26 de dezembro de 2019 [EDUARDO SOTERAS/AFP via Getty Images]
Uma visão geral da Grande Barragem da Renascença Etíope (GERD), perto de Guba, na Etiópia, em 26 de dezembro de 2019 [EDUARDO SOTERAS/AFP via Getty Images]

O Egito tem o apoio da Rússia para resolver a disputa da Grande Barragem da Renascença Etíope (GERD), disse ontem o Ministro das Relações Exteriores Sameh Shoukry.

“Confiamos na Rússia, através de suas relações com os três países [na disputa] e suas capacidades, dado seu impacto e posição de prestígio internacional, para pressionar as várias partes a se absterem de atos unilaterais”, disse Shoukry em uma reunião realizada na capital egípcia, Cairo, com seu homólogo russo, Sergey Lavrov.

Há uma década, o Egito, o Sudão e a Etiópia tentam chegar a um acordo sobre a GERD, numa tentativa de satisfazer interesses comuns sem minar as quotas de água das nações a jusante.

As negociações entre os três países, mediadas pela União Africana, fracassaram na semana passada, com o Cairo e Cartum culpando o que eles descreveram como a “intransigência etíope”.

Shoukry salientou que seu encontro com Lavrov também discutiu “o desenvolvimento da questão palestina”, referindo-se à retomada das atividades do chamado “Quarteto de mediadores para o Oriente Médio”, que inclui Estados Unidos, Rússia, União Européia e Nações Unidas.

LEIA: Houthi propõe mediação da crise da Barragem da Renascença para Etiópia, Sudão, Egito

A Etiópia está construindo uma barragem de 5 bilhões de dólares perto da fronteira com o Sudão e diz que fornecerá ao país a tão necessária eletricidade e regeneração econômica. O Egito acredita que a obra irá restringir seu acesso às águas do Nilo.

Etiópia renova comprometimento com mediação da União Africana em negociações de barragens - Charge [Sabaaneh / Monitor do Oriente Médio]

Etiópia renova comprometimento com mediação da União Africana em negociações de barragens – Charge [Sabaaneh / Monitor do Oriente Médio]

O Egito é quase inteiramente dependente da água do Nilo, recebendo cerca de 55,5 milhões de metros cúbicos por ano do rio, e acredita que o enchimento da barragem afetará a água que precisa para consumo, agricultura e eletricidade.

O Cairo quer que a Etiópia garanta que o Egito receberá 40 bilhões de metros cúbicos ou mais de água do Nilo. O Ministro Etíope de Irrigação, Seleshi Bekele, disse que o Egito abandonou essa demanda, mas o país insiste que não o fez e emitiu uma declaração para este fim.

Há também uma questão não resolvida sobre a rapidez com que a represa será enchida, com o Egito temendo que, se for feito muito rapidamente, ela possa afetar a eletricidade gerada pela Alta Barragem de Aswan.

Categorias
ÁfricaEgitoEtiópiaEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaRússiaSudão
Show Comments
Show Comments