Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel salvará suas companhias aéreas com plano de ajuda de US$ 210 milhões

Avião Israir Airlines Airbus A320, no Aeroporto Internacional Ben Gurion, perto da cidade israelense de Tel Aviv, em 14 de junho de 2020, em meio à nova pandemia de coronavírus. [Gil Cohen-Magen/AFP via Getty Images]
Avião Israir Airlines Airbus A320, no Aeroporto Internacional Ben Gurion, perto da cidade israelense de Tel Aviv, em 14 de junho de 2020, em meio à nova pandemia de coronavírus. [Gil Cohen-Magen/AFP via Getty Images]

O governo de Israel anunciou na quarta-feira o aguardado resgate de suas companhias aéreas para ajudá-las a enfrentar a crise do coronavírus e manter as operações em meio a uma paralisação de um ano nas viagens internacionais, informou a Reuters.

Como parte de um programa de assistência financeira supervisionado pelo Ministério das Finanças, o governo comprará antecipadamente US $ 210 milhões em passagens da companhia aérea El Al Israel Airlines e de sua subsidiária de baixa tarifa Sun Dor.

As passagens são para o pessoal de segurança da companhia aérea afixado nos aeroportos para os quais suas operadoras voarão nos próximos 20 anos, disse o Ministério da Fazenda em um comunicado. A soma permanecerá a mesma, mesmo que os requisitos de segurança mudem.

O governo planeja oferecer acordos de compra de passagens para outras companhias aéreas israelenses que transportarão pessoal de segurança da aviação israelense nos próximos dias, disse o ministério.

LEIA: Netanyahu diz que príncipe dos Emirados pretende investir US$ 12 milhões em Israel

O governo de Israel recebeu críticas por ofertas anteriores de ajuda que teriam garantido empréstimos a companhias aéreas, mas não chegaram a dar assistência financeira direta. Outras operadoras globais, como a alemã Lufthansa, receberam resgates do governo já no verão passado.

O governo havia oferecido recentemente 82,5% de um empréstimo de US$ 300 milhões para a El Al, dependendo de seu novo proprietário, Eli Rozenberg, injetar mais dinheiro na companhia aérea e cortar custos.

O Ministério das Finanças disse que o programa de compra de passagens aéreas substituirá a oferta do governo de apoiar o empréstimo de US$ 300 milhões. O programa depende de um capital de emissão da El Al de US$ 105 milhões, acrescentou.

O plano de ajuda será submetido ao gabinete do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, para aprovação nos próximos dias, disse o ministério.

A El Al reportou perdas por dois anos e acumulou dívidas para renovar sua frota. Ele suspendeu os voos regulares de passageiros em março passado, no início da crise de saúde, quando Israel fechou suas fronteiras para a maioria dos cidadãos estrangeiros, agravando seus problemas financeiros.

Israel começou a abrir algumas rotas internacionais novamente para seus cidadãos, mas de forma limitada, citando preocupações acerca das novas variantes do coronavírus.

LEIA: Aviões de Israel não poderão pousar em aeroportos dos EUA, alerta Washington

Categorias
CoronavírusIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments