Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Regras do tribunal impedem esposa de Daesh de retornar ao Reino Unido

Uma fotografia de Shamima Begum em Londres, Reino Unido, em 22 de fevereiro de 2015. [Laura Lean/WPA Pool/Getty Images]
Uma fotografia de Shamima Begum em Londres, Reino Unido, em 22 de fevereiro de 2015. [Laura Lean/WPA Pool/Getty Images]

Uma mulher nascida no Reino Unido que foi para a Síria como estudante para ingressar no Daesh não deve ser autorizada a retornar à Grã-Bretanha para desafiar o governo a retirar sua cidadania, porque ela representa um risco à segurança, decidiu hoje a Suprema Corte britânica, informou a Reuters.

Shamima Begum deixou Londres em 2015, quando tinha 15 anos, e foi para a Síria via Turquia com dois amigos de escola. Enquanto estava lá, ela se casou com um lutador do Daesh. Ela deu à luz três filhos, que morreram ainda bebês, e agora está presa em um campo de detenção na Síria.

Ela foi destituída de sua cidadania britânica em 2019 por motivos de segurança nacional.

A decisão unânime da Suprema Corte anulou uma decisão do Tribunal de Recurso no ano passado, que considerou que ela deveria ser autorizada a retornar para que ela pudesse ter um recurso justo contra a decisão de cidadania.

LEIA: França repatria sete filhos de combatentes do Daesh

“O direito a uma audiência justa não supera todas as outras considerações, como a segurança do público”, disse Robert Reed, o presidente da Suprema Corte. “Se um interesse público vital torna impossível que um caso seja ouvido com justiça, então os tribunais normalmente não podem ouvi-lo.”

O primeiro-ministro, Boris Johnson, saudou a decisão, disse seu porta-voz, acrescentando que a prioridade do governo era “manter nossa segurança nacional”.

Grupos de direitos humanos disseram que a Grã-Bretanha tem o dever de trazer Begum de volta e outros em apuros semelhantes e processá-los por quaisquer crimes que possam ter cometido, em vez de deixá-los no exterior.

“Abandoná-los em um buraco negro legal – em condições semelhantes às de Guantánamo – está em desacordo com os valores britânicos e os interesses da justiça e da segurança”, disse Maya Foa, diretora do grupo de campanha Reprieve.

Categorias
Europa & RússiaNotíciaOriente MédioReino UnidoSíria
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments