Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Piloto francês ‘viu a morte’ em acidente no GP do Bahrein de Fórmula 1

Médicos resgatam Romain Grosjean, piloto francês de Fórmula 1 da equipe Haas, após acidente no início do Grand Prix do Bahrein, na cidade de Sakhir, 29 de novembro de 2020 [Hamad Mohammed/AFP/Getty Images]
Médicos resgatam Romain Grosjean, piloto francês de Fórmula 1 da equipe Haas, após acidente no início do Grand Prix do Bahrein, na cidade de Sakhir, 29 de novembro de 2020 [Hamad Mohammed/AFP/Getty Images]

Romain Grosjean, piloto francês de Fórmula 1, relatou lembrar-se do assustador acidente de Niki Lauda, em 1976, enquanto tentava desvencilhar-se das chamas em seu veículo da equipe Haas, após acidente grave no Grand Prix do Bahrein, no último domingo (30).

O piloto alegou tentar salvar-se por seus filhos, quando então “viu a morte”.

“Vi no meu retrovisor, tudo laranja, as chamas ao meu redor, e o acidente de Niki Lauda me veio à mente e eu não queria acabar assim”, declarou Grosjean, de 34 anos, pai de três filhos, às emissoras francesas TF1 e LCI, durante entrevista em seu quarto de hospital.

“Eu tinha de sair dali, pelos meus filhos. Vi a morte chegando, não tinha outra alternativa senão sair dali”, destacou Grosjean.

Acidente assustador no GP do Bahrein; o piloto Romain Grosjean sofreu queimaduras leves

O carro de corrida de Grosjean saiu da pista em alta velocidade, logo na volta de abertura do GP do Bahrein. O veículo atingiu as barreiras de proteção sob um impacto de 53 G – isto é, 53 vezes a aceleração gravitacional da Terra.

O choque partiu o carro no meio, que explodiu em chamas.

LEIA: Hamilton, da F1 fala em direitos humanos em meio a apelos de ativistas do Bahrein

Grosjean permaneceu consciente durante todo o período, desde o acidente até ser extraído dos destroços em chamas, resgatado por bombeiros e médicos da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Imagens do carro em chamas evocaram uma era ainda mais perigosa da Fórmula 1, em particular, quando o tricampeão Niki Lauda chegou a receber a extrema unção, após acidente do Grand Prix da Alemanha de 1976.

Na ocasião, Lauda sofreu queimaduras graves no rosto e pulmões. O piloto austríaco, que faleceu em 2019, aos 70 anos de idade, voltou a correr pela equipe Ferrari apenas seis meses após o terrível acidente, ainda com bandagens sobre seus ferimentos.

Grosjean sofreu queimaduras relativamente leves em suas mãos. Durante a entrevista, brincou que as ataduras o fazem parecer o personagem Mickey Mouse. Declarou ainda sentir-se “renascido” após o acidente que marcará sua carreira e sua vida.

Romain Grosjean agradece o apoio em seu quarto de hospital, após grave acidente de F1

O piloto francês está previsto para receber alta do hospital nesta quarta-feira (2), após passar uma noite adicional em observação.

Grosjean deve deixar a Fórmula 1 na temporada. No próximo GP do Bahrein, será substituído pelo brasileiro Pietro Fittipaldi, piloto reserva da equipe Haas.

Contudo, mesmo após o grave acidente, Grosjean está determinado a retornar para a corrida de encerramento em Abu Dhabi, em 13 de dezembro, para provavelmente encerrar sua carreira na modalidade.

“Apesar de ser muito difícil para as pessoas próximas a mim, é uma necessidade que sinto, retornar a um carro da Fórmula 1, para saber onde estou, para saber se posso continuar a dirigir”, refletiu Grosjean.

Categorias
BahreinEuropa & RússiaFrançaNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments