Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Chefe da ONU alerta sobre risco imediato de fome generalizada no Iêmen

Criança iemenita recebe tratamento médico em um hospital de Taez, 19 de novembro de 2018 [Marzooq al-Jabiry/AFP/Getty Images]
Criança iemenita recebe tratamento médico em um hospital de Taez, 19 de novembro de 2018 [Marzooq al-Jabiry/AFP/Getty Images]

O Secretário-Geral da ONU António Guterres advertiu na última sexta-feira (27) que o Iêmen assolado pela guerra “vive agora um risco iminente da pior crise de fome generalizada no mundo, em décadas”.

As informações são da agência Reuters.

O alerta de Guterres foi emitido após os Estados Unidos ameaçarem criminalizar o grupo iemenita houthi, ligado ao Irã, como parte de sua campanha de “máxima pressão” contra o regime iraniano.

Trabalhadores humanitários expressaram receios de que esta medida possa impedir a chegada de assistência humanitária urgente ao país.

“Faço um apelo a todas as partes influentes para que ajam urgentemente sobre tais questões, a fim de evitar uma catástrofe. Peço também a todos que evitem tomar qualquer ação que possa piorar ainda mais a situação já crítica”, declarou Guterres, em nota.

Uma coalizão liderada pela Arábia Saudita interveio no Iêmen em 2015, com o objetivo de restaurar o governo aliado, após o movimento rebelde houthi capturar grande parte do país, incluindo a capital Sanaa.

Oficiais da ONU tentam ressuscitar as conversas de paz para dar fim à guerra, à medida que o sofrimento do país agrava-se pelo colapso econômico e monetário e pela pandemia de coronavírus.

“Na falta de ação imediata, milhões de vidas serão perdidas”, reiterou Guterres.

LIEA: Oxfam condena venda de armas para países que alimentam a guerra no Iêmen

As Nações Unidas descrevem o Iêmen como a pior crise humanitária do mundo, dado que 80% da população depende de assistência humanitária urgente.

Segundo uma fonte diplomática, em condição de anonimato, a criminalização dos houthis pelos Estados Unidos “certamente não contribuirá para qualquer progresso no Iêmen … É provável que queiram fazer tudo que podem para aumentar a pressão ao Irã”.

Mark Lowcock, chefe de assistência humanitária da ONU, afirmou que a entidade recebeu menos da metade do valor necessário para prover serviços no Iêmen, ao longo de 2020 – cerca de US$1.5 bilhões.

Em 2019, as operações humanitárias da ONU no país árabe receberam US$3 bilhões em doações internacionais.

Categorias
CoronavírusIêmenNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Show Comments