Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Jornalistas do Azerbaijão são atingidos no conflito com a Armênia

Profissional da imprensa fala à mídia perto do carro, transportando correspondentes do canal nacional de televisão azerbaijani AzTV, após um ataque supostamente realizado pelo exército armênio em 14 de outubro de 2020 no Tártaro, Azerbaijão [Agência Onur Çoban / Anadolu]
Profissional da imprensa fala à mídia perto do carro, transportando correspondentes do canal nacional de televisão azerbaijani AzTV, após um ataque supostamente realizado pelo exército armênio em 14 de outubro de 2020 no Tártaro, Azerbaijão [Agência Onur Çoban / Anadolu]

O correspondente de guerra da AZTV, televisão oficial do Azerbaijão, Elnur Tofig, disse à Agência Anadolu que jornalistas foram atacados enquanto gravavam imagens de vídeo de uma escola atingida pelos militares armênios no vilarejo de Duverli . E que, após o ataque, voltaram ao centro de Tártaro com os feridos. “Felizmente estamos bem”, disse Tofig. “Sempre mencionamos ataques contra civis e assentamentos, mas hoje nos tornamos notícia enquanto reportávamos.”

No dia 1º de outubro, dois repórteres franceses do Le Monde e dois jornalistas armênios ficaram feridos em Nagorno-Karabakh, onde os violentos combates entre as forças armênias e azerbaijanas na semana marcaram a maior escalada em décadas de conflito. O Ministério das Relações Exteriores da Armênia informou que eles foram levados ao hospital e acusou o Azerbaijão de bombardear a região de Martuni, na parte oriental do território disputado.

LEIA: É um desafio apoiar o Azerbaijão quando seu governo é pró-Israel

De acordo com o governo do Azerbaijão, o exército armênio violou um cessar-fogo recentemente estabelecido ao atacar cidades como Tártaro e Ganja. Assinalou que 43 civis foram mortos e 206 outros ficaram feridos entre 27 de setembro e 14 de outubro.

A luta entre a Armênia e o Azerbaijão pelo território é a pior desde a guerra de 1991-94, que eclodiu com o colapso da União Soviética e matou cerca de 30.000 pessoas. O conflito está sendo observado de perto no exterior, em parte por causa de sua proximidade com os oleodutos de energia azeri para a Europa e em parte por causa dos temores de que a Rússia e a Turquia possam ser atraídas para o confronto.

Categorias
ArmêniaAzerbaijãoEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioRússiaTurquia
Show Comments
Show Comments