Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Classificação do Líbano pela Mody’s caiu para o mesmo nível da Venezuela

Serviço de investidores da Moody's [Twitter]
Serviço de investidores da Moody's [Twitter]

A classificação do Líbano pela Moody’s foi reduzida para a nota mais baixa possível, um C, a mesma classificação da Venezuela, informou a agência de análise de crédito americana em comunicado ontem.

“As perdas incorridas pelos detentores de títulos devido ao atual déficit do Líbano provavelmente excederão 65%”, declara a agência, conforme a Bloomberg.

Já este ano, o Líbano pagou uma dívida de US$ 1,2 bilhão em Eurobond – o primeiro default soberano da história do país – e enfrentou um colapso acelerado da moeda.

“O colapso da moeda no mercado paralelo e o aumento concomitante da inflação alimentam um ambiente altamente instável”, afirmou a Moody´s na Bloomberg.

LEIA: Cidadão libanês-colombiano em rota ao Irã é preso na costa da África Ocidental

“Na ausência de medidas-chave para uma reforma plausível das políticas econômica e fiscal, o apoio oficial externo ao financiamento para uma reestruturação da dívida do governo não está disponível” – frisou.

A desvalorização ocorre num momento em que o governo do Líbano luta para obter ajuda internacional e, enquanto as negociações sobre a questão das perdas do Banco Central de resgate com o Fundo Monetário Internacional (FMI) estão paralisadas.

O  ministro da Economia, Raoul Nehme, disse à Bloomberg Television ontem que, mesmo que haja um acordo de resgate do FMI, a organização internacional poderá fornecer apenas metade dos US$ 10 bilhões solicitados pelo governo libanês.

O Líbano procuraria preencher a lacuna, desbloqueando a ajuda internacional condicional, como os US $ 11 bilhões prometidos durante a conferência CEDRE 2018, que está ligada a reformas, de acordo com Nehme.

“Todos eles [doadores internacionais] estão esperando o FMI, na minha opinião”, disse Nehme, segundo Bloomberg, alertando que o Líbano poderia enfrentar um “cenário negativo  real” se o governo não conseguir garantir um resgate do FMI.

LEIA: Irã estava pronto a reagir caso EUA bloqueassem remessas à Venezuela, relata imprensa local

Atualmente, o Líbano está enfrentando sua pior crise econômica desde o final da guerra civil em 1990 e viu a moeda, a lira libanesa, ou libra, perder mais de 80% de seu valor nos últimos meses, minando a pegada do dólar que está em vigor desde 1997.

Oficialmente, a lira está atrelada ao dólar americano em 1.507,5. Nos últimos meses, no entanto, negociou entre 4.500 e 9.000 por dólar americano no mercado negro.

Em resposta, o governo introduziu uma segunda taxa de câmbio de 3.900 por dólar para importadores de itens essenciais, incluindo alimentos, permitindo que comprem mercadorias com dólares. Os depositantes regulares ainda estão vinculados à taxa atrelada.

Apesar dos apelos para desatrela a lira, como uma maneira de reduzir os efeitos da crise econômica, no entanto, Nehme disse à Bloomberg: “até termos um programa do FMI, permaneceremos com duas taxas oficiais… Uma atrelada é a solução ideal, mas deve ser acompanhado por medidas sociais ”.

LEIA: Bancos libaneses em Sídon, Tiro e Trípoli são atacados com coquetel molotov

Categorias
Ásia & AméricasFMILíbanoNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioVenezuela
Show Comments
Show Comments