Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Todos os funcionários do Hospital Al-Azhar do Egito estão infectados por coronavírus

Membros da equipe médica da unidade de doenças infecciosas do hospital de Imbaba, na capital Cairo, se reúnem para uma pausa em 19 de abril de 2020 [Ahmed Hasan/ AFP via Getty Images]

O Sindicato Médico Egípcio (EMS) pediu ontem um aumento no número de hospitais de isolamento para os profissionais de saúde, depois que todo o pessoal médico do Hospital Universitário Al-Azhar testou positivo para coronavírus, informou a Al Jazeera.

Na segunda-feira, o presidente da Universidade Al-Azhar, Dr. Muhammad Al-Mahrasawi, havia decidido fechar temporariamente o Hospital Universitário Al-Zahra, onde 35 funcionários haviam sido infectados.

Ontem, o vice-presidente da Universidade Al-Azhar e o supervisor geral de hospitais, Dr. Mahmoud Seddi, anunciaram que o número de casos entre a equipe do centro médico havia aumentado para 135.

Onze médicos e seis enfermeiros morreram de covid-19 até agora, enquanto 178 médicos foram infectados, segundo Ibrahim El-Zayat, membro do conselho do SME.

O Egito anunciou 338 novos casos de coronavírus ontem, elevando o número total de infecções para 10.431, sendo que o número de mortos chegou a 556, segundo o Ministério da Saúde.

Pesquisadores canadenses acreditam que a taxa de infecção seja muito maior, devido a um possível encobrimento por parte do governo.

LEIA: FMI aprova apoio emergencial de US$2.77 bilhões ao Egito para enfrentar a pandemia

Categorias
ÁfricaCoronavírusEgitoNotícia
Show Comments
Show Comments