Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Arábia Saudita impõe “toque de recolher de 24 horas” a Meca e Medina até novo aviso

Vista aérea mostra uma área vazia de azulejos brancos ao redor da Kaaba na Grande Mesquita de Makkah, em 6 de março de 2020. [Bandar Aldandani/ AFP via Getty Images]

O Ministério do Interior saudita anunciou um toque de recolher estrito de 24 horas nas cidades de Meca e Medina, a partir de quinta-feira até novo aviso.

Na quinta-feira, a Agência de Imprensa Saudita (SPA) citou uma fonte oficial no Ministério do Interior afirmando que isso faz parte dos esforços do reino para enfrentar a pandemia de coronavírus e da implementação das recomendações das autoridades de saúde para aumentar o grau de medidas preventivas e preventivas nas cidades de Meca e Medina, para proteger a saúde e a segurança dos residentes.

LEIA: Arábia Saudita manteve o mundo no escuro sobre coronavírus, alega ministro da Turquia

A informação é de proibição contínua de entrada ou saída dessas cidades, a partir da data do anúncio até novo aviso, à exceção daqueles que trabalham em setores públicos e privados vitais durante o período de prevenção.

Segundo a fonte, os moradores dos bairros das cidades de Meca e Medina só podem sair de casa para atender necessidades essenciais, como assistência médica e compra de provisões, dentro do bairro em que residem, das 6:00 às 15:00 diariamente.

O Ministério do Interior instruiu que apenas adultos podem sair e apenas nos casos necessários, para garantir que as crianças não sejam expostas ao vírus.

Um mecanismo foi estabelecido pela Autoridade Monetária da Arábia Saudita para uso de serviços bancários, em coordenação com os Ministérios do Interior e da Saúde.

A fonte afirmou ainda que foi decidido proibir a prática de qualquer atividade comercial nos bairros residenciais das duas cidades, com exceção de farmácias, mercearias, postos de gasolina e serviços bancários.

O Ministério do Interior instou todos os cidadãos e residentes a usarem serviços de entrega expressa por meio de aplicativos para encomendar alimentos e medicamentos, bem como outros bens e serviços.

LEIA: A ‘Visão 2030’ da Arábia Saudita será tida como vítima do coronavírus?

Categorias
Arábia SauditaCoronavírusIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments