Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ghannouchi da Tunísia diz que “não há espaço para conflitos enquanto se enfrenta o coronavírus”

Rashid Al Ghannouchi, presidente do Parlamento da Tunísia, no 4º congresso de entidades estudantis do movimento Nahda, na Tunísia University em Tunis, Tunísia, em 18 de janeiro de 2020 [Yassine Gaidi / Anadolu Agency]

O representante do congresso tunisiano anunciou que as atividades parlamentares devem ser mantidas durante a crise.

Presidente a casa, Rached Ghannouchi declarou na quinta-feira que “não há espaço para conflito ou desacordo. Nossa prioridade mais urgente é a unidade para enfrentar a crise. ”

Seu discurso foi proferido durante a abertura de uma sessão plenária dedicada à aprovação de medidas excepcionais para garantir a continuidade das atividades no Parlamento e no país em geral, enquanto confronta a disseminação do Covid-19.

Dirigindo-se aos deputados, Ghannouchi acrescentou: “Nossa unidade é o segredo de nossa força para enfrentar esse desafio, pois todas as forças atuantes no país expressaram uma consciência coletiva da necessidade de unificar a frente nacional”.

Ele continuou: “Os acontecimentos sucessivos exigem que adaptemos nossos meios de trabalho e, por esse motivo, a Assembléia Popular precisa considerar muitas propostas. É imperativo manter as atividades do Parlamento de acordo com os novos mecanismos que serão aprovados durante esta sessão. ”

Ghannouchi acrescentou: “O Parlamento deve dobrar seus esforços em coordenação com a autoridade executiva para facilitar tarefas e trocar informações, permitindo rapidez e interação eficaz para alcançar o que as pessoas exigem”.

Ele alegou que “o Estado não fica para trás em seu dever de fornecer e organizar a distribuição de suprimentos, como alimentos e medicamentos, a fim de enfrentar monopólios e combater aqueles que estão tentando fazer fortuna manipulando a provisão de alimentos e necessidadesdo povo. ”

Ghannouchi orientou o povo tunisino a “aderir às decisões e recomendações emitidas pelo Estado em relação à quarentena geral e permanecer em suas casas. Compromisso e disciplina são uma expressão do espírito de cidadania e responsabilidade compartilhada. ”

Ele insistiu nas recomendações dizendo que: “a guerra contra o coronavírus será um teste para todos nós, por nossos valores, unidade e consciência”.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro Elyes Fakhfakh anunciou a criação de um órgão nacional para combater a propagação do vírus.

Na quarta-feira, o país registrou 173 casos de infecção pelo vírus, com cinco fatalidades.

Na quinta-feira (26) ao meio-dia, o Covid-19 havia afetado mais de 486.000 pessoas em todo o mundo, das quais mais de 22.000 morreram, enquanto mais de 117.000 se recuperaram.

A disseminação do coronavírus forçou muitos países a fechar suas fronteiras, suspender voos, impor toque de recolher, fechar escolas e universidades, cancelar eventos e reuniões públicas, além de fechar mesquitas e igrejas.

LEIA: Turquia deve ajudar a Tunísia na batalha contra o coronavírus

Categorias
ÁfricaCoronavírusNotícia
Show Comments
Show Comments