Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Emir de Dubai pretendia casar sua filha de 11 anos com Mohammed Bin Salman, revela corte britânica

Princesa de Dubai Haya Bint Al-Hussein [Twitter]

O Emir de Dubai, xeque Mohammed Al Maktoum, supostamente pretendia arranjar casamento entre sua filha de onze anos de idade e Mohammed Bin Salman, príncipe herdeiro e governante de fato da Arábia Saudita, de 34 anos, conforme denunciado a uma corte do Reino Unido nesta quinta-feira (5).

Segundo relatos, o xeque Mohammed Al Maktoum discutiu o acordo de casamento em fevereiro de 2019, que forçaria a princesa Jalila – onze anos – a casar-se com Bin Salman. O caso foi levado aos tribunais britânicos pela mãe da menina, princesa Haya Bint Al-Hussein, como parte de um disputa matrimonial entre ela e Al Maktoum. Haya fugiu dos Emirados Árabes Unidos (EAU) no último ano e entrou com pedido de divórcio no Reino Unido. Segundo ela, os planos para o casamento foram uma das principais razões porque fugiu.

O governante bilionário de Dubai é acusado de sequestrar suas próprias filhas. Em 2000, Shamsa Al Maktoum tentou escapar de uma propriedade de seu pai no valor de US$ 130 milhões, em Surrey, Reino Unido, quando tinha dezoito anos. Shamsa foi encontrada perto de Cambridge e teve de retornar a força para Dubai. Desde então, não foram divulgadas notícias sobre ela; relatos sugerem que foi aprisionada e agredida.

Anos mais tarde, em 2018, sua irmã Latifa tentou fugir, ao atravessar a fronteira para Omã e então viajar 40 quilômetros em um bote inflável, antes de encontrar-se com um ex-oficial da Marinha da França chamado Jean-Pierre Herve Jaubert, que a aguardava em seu iate. Viajaram então a Goa, Índia, onde um comando de cooperação indiano-emiradense os interceptou, capturou Latifa e prendeu a tripulação.

A corte britânica também ouviu a princesa Haya sobre um suposto caso extraconjugal com seu guarda-costas pessoal – Russel Flowers, ex-soldado do Reino Unido –, com quem fugiu. No decorrer dos dois anos nos quais estiveram envolvidos, ela supostamente o concedeu diversos presentes, inclusive uma casa no condado inglês de Suffolk, onde passaram a residir após o caso ser revelado. Segundo relatos, no entanto, Flowers está atualmente escondido, sob receio de ameaças contra sua vida.

Na última semana, a corte britânica indeferiu recurso de Al Maktoum para manter o processo em sigilo.

Al Maktoum, no entanto, nega veementemente as alegações de Haya, em particular no que se refere ao suposto casamento forçado. Seu advogado Alex Verdan afirmou: “Nenhum de seus filhos teve casamentos forçados ou noivou com esta idade. Jamais houve tal plano ou sequer uma pessoa a quem Jalila estivera prometida.”

“Não houve qualquer casamento forçado. Não é o que este pai faz com suas filhas – há treze delas – nesta idade”, prosseguiu Verdan.

Caso as alegações de Haya sobre o casamento arranjado sejam verdade e caso fossem adiante, a princesa Jalila deveria se tornar a segunda esposa do príncipe saudita, conhecido pela brutal repressão contra seus críticos, incluindo casos de assassinato e prisões arbitrárias, tanto na Arábia Saudita quanto no exterior.

Casamento de crianças no Oriente Médio – cartum [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
EAUEuropa & RússiaNotíciaReino Unidos
Show Comments
Show Comments