Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

O coronavírus chega à Grécia e o país se preocupa com os campos de imigrantes

Um barco inflável com refugiados chega a Skala Sykamias, ilha de Lesvos, Grécia. Um voluntário da IsraAid de Israel os ajuda a entrar em terra.

O primeiro-ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotakis , disse na quinta-feira (27), segundo a Agência Reuters, que reforçará os controles nas fronteiras para impedir a propagação do coronavírus, concentrando-se nas rotas das ilhas usadas pelos migrantes para entrar no país

Seus comentários foram feitos no momento em que a Grécia notificou dois novos casos de coronavírus, elevando o total de casos confirmados para três – dois na cidade de Thessaloniki, no norte, e um em Atenas.

O caso de Atenas envolveu um funcionário do Pireu Bank que viajou para a Itália, segundo um funcionário do banco. O banco pediu a todos os funcionários que trabalhavam no mesmo andar do funcionário infectado que trabalhassem em casa pelos próximos 14 dias.

A Grécia é uma porta de entrada para refugiados e requerentes de asilo que fogem da guerra e da pobreza no Oriente Médio e região, com mais de um milhão de pessoas passando pelo país em 2015 e 2016.

Milhares de migrantes estão presos em campos superlotados de refugiados, em condições que as organizações de ajuda dizem ser assustadoras e que o próprio governo descreveu como uma “bomba de saúde”.

“Nossas ilhas já estão sobrecarregadas com problemas de saúde pública e devem ser duplamente protegidas”, disse Mitsotakis, cujo governo adotou uma postura dura em relação à migração, em uma reunião do gabinete.

Mitsotakis disse que havia invocado uma diretiva da União Européia que permitia aos estados membros elevar a segurança nas fronteiras se a saúde pública estivesse em risco.

“Simplificando, faremos o que for preciso para impedir o aparecimento do vírus – particularmente lá”, disse ele, referindo-se às ilhas.

A agência das Nações Unidas para os Refugiados, ACNUR, diz que existem mais de 40.000 refugiados e requerentes de asilo nas ilhas gregas. Muitos esperaram meses para que seus pedidos fossem processados.

Os governos intensificaram medidas na quinta-feira para combater uma pandemia iminente de coronavírus, já que o número de novas infecções fora da China ultrapassou pela primeira vez os novos casos no país onde o surto começou.

Após uma crise de dívida de uma década, cresce a preocupação com o impacto potencial do vírus na economia da Grécia, que depende muito do turismo.

As reservas foram afetadas, mas não em grande parte, disseram funcionários do governo, pedindo calma.

Uma autoridade do Banco da Grécia disse à Reuters que o banco central estava atendendo às suas projeções de expansão econômica de 2,4% para 2,5% este ano.

Categorias
Europa & RússiaGréciaNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioUE
Show Comments
Show Comments