Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Raed Salah: `A sentença contra mim é prova da injustiça de Israel’

Líder do ramo norte do movimento islâmico em Israel, o xeque Raed Salah (2º esq.) no tribunal depois que ele foi preso acusado de promover uma associação ilegal. Em Rishon Lezion, Israel, em 14 de agosto, 2017 [Stringer /Agência Anadolu]

O xeque Raed Salah, chefe do Movimento Islâmico em Israel, disse ontem que a “sentença de prisão israelense contra mim prova a injustiça da ocupação israelense”, informou a Al Watan Voice.

Pelo veredicto, o xeique Salah está proibido de se dirigir ao público, forçando seu advogado Omar Khamaysi, a ler sua declaração aos apoiadores que se reuniram em frente ao tribunal israelense em Haifa.

O tribunal israelense emitiu ontem uma sentença de prisão de 28 meses contra Salah por alegações de incitação ao terror.

O Sheik Salah disse:

“A pena de prisão não me assusta nada … a opressão israelense tem caçado a mim e ao meu povo palestino.”

“Reafirmei meus princípios perante a corte israelense”, disse ele, afirmando que seus princípios são “islâmicos, árabes e palestinos”.

Ele acrescentou: “Existe alguma vitória melhor do que seguir o Alcorão Sagrado, a Sunnah do Profeta, os princípios palestinos, a língua árabe, a cultura palestina, Jerusalém e a mesquita Al Aqsa?”

“Eu mantenho esses princípios porque eles não são individuais, mas são as bases do Alcorão, a Sunnah do Profeta, para que sejam os princípios de todos os muçulmanos, árabes e palestinos”.

O xeique Salah enfatizou: “A decisão contra mim revela a verdadeira face do judiciário israelense que está longe de ser justo. Quando o judiciário conquistar a justiça, será uma vitória contra a opressão, racismo, perseguição, caça política, criminalização da liberdade de expressão e ressurreição das Inquisições. ”

“Decidi não recorrer da sentença, apesar de ser opressiva e severa, porque minha única preocupação é ser credível diante de Deus e da história. Esta é a vitória para todos nós, porque meu caso continuará sendo uma testemunha contra a opressão israelense. ”

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments