Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ativistas riem dos planos do Egito para combater ao coronavírus

Cidadãos usam máscaras para se defender contra novos vírus em 22 de janeiro de 2020 em Guangzhou, China. [Stringer - Agência Anadolu]

O ministro da Saúde egípcio Hala Zayed foi ridicularizado por ativistas ao declarar que o Egito está pronto para enfrentar o coronavírus.

O Ministério anunciou o lançamento de campanhas massivas contra restaurantes chineses, justificando a mudança como um meio de garantir a segurança da comida egípcia, em conjunto com a disseminação do novo vírus.

Os governadores foram encarregados de impor controles rígidos aos restaurantes chineses, a fim de impedir que a epidemia vaze no país.

Zayed enfatizou a necessidade de garantir a segurança de quem frequenta restaurantes, observando que as campanhas cobriram sete províncias até agora, com todos os trabalhadores sendo totalmente inspecionados e tendo seus certificados de saúde verificados. Os trabalhadores chineses teriam sido examinados para identificar suspeitos com sintomas do coronavírus.

A decisão caiu no ridículo generalizado no país porque os restaurantes chineses no Egito são restaurantes que servem pratos chineses, mas todos os ingredientes vêm do Egito. Seus funcionários e chefs são egípcios, treinados nos métodos de culinária chinesa.

Ativistas zombaram da campanha dizendo que trabalhadores chineses nesses restaurantes estavam presentes no Egito antes do surto do vírus na China ou chegaram e já foram examinados no aeroporto.

Médicos, enfermeiros e equipe médica também tiveram suas férias canceladas. Nenhuma explicação foi dada, já que o Egito disse que nenhum caso de coronavírus foi detectado até o momento. Talvez, brincaram os críticos, o ministro da Saúde espera que a presença dos médicos assusteo vírus e o impeça de entrar no país. Os egípcios se perguntam se o ministério não teria uma maneira de convocar médicos em férias se uma emergência ocorresse e, por isso, decidira cancelá-las para mantê-los nos hospitais.

Moradores alertam que hospitais públicos não fizeram os preparativos suficientes para combater a propagação de vírus. A Organização Mundial da Saúde declarou ontem o surto de coronavírus uma emergência de saúde pública de interesse internacional.

Este artigo foi pblicado pela primeira vez no Egito Assista em 30 de janeiro de 2020

Categorias
ÁfricaÁsia & AméricasChinaEgitoNotícia
Show Comments
Show Comments