Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Centro de direitos humanos denuncia que Israel matou 27 crianças em Gaza em 2019

Paramédico carrega um menor palestino ferido após forças israelenses atirarem contra manifestantes durante a Grande Marcha do Retorno, em Gaza, 31 de maio de 2019 [Mohammed Asad/Monitor do Oriente Médio]

Forças da ocupação israelense mataram 27 crianças palestinas e feriram outros 2.000 menores de idade na Faixa de Gaza sitiada, no decorrer do ano de 2019, conforme anunciado ontem (9) pelo Centro de Direitos Humanos Al-Mezan.

Em relatório oficial, a organização não-governamental condenou o que descreveu como “violações contínuas cometidas pelas forças da ocupação israelense contra Gaza e seus residentes”. A declaração do grupo observou que as violações incluem prisões arbitrárias, seja por invasões à Faixa de Gaza ou perseguição a pescadores, trabalhadores e crianças que aproximam-se da cerca que separa o território litorâneo de Israel.

“Israel continua a prender e deter crianças em clara violação às leis e padrões de direitos humanos internacionais,” reiterou o centro Al-Mezan. Também destacou que as forças da ocupação israelense prenderam 35 crianças em Gaza no decorrer de 2019.

O grupo de direitos humanos acrescentou que as violações israelenses em Gaza incluíram “agressões militares sobre instituições de ensino e saúde,” e esclareceu que 32 escolas foram parcialmente danificadas após ataques israelenses.

O centro Al-Mezan ainda fez um apelo à comunidade internacional para que intervenha no caso para “dar fim às violações israelenses sobre os territórios palestinos.”

Israel impõe um bloqueio severo à Faixa de Gaza que já dura treze anos e resultou no aumento dramático dos índices de pobreza e desemprego no território palestino densamente povoado.

LER: 2019 foi o pior ano para Gaza em níveis humanitários e econômicos

 

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestine
Show Comments
Show Comments