Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

A ajuda financeira da UE e a fragmentação da sociedade palestina

Bandeiras da UE em Frankfurt, Alemanha. Em 11 de novembro de 2019 [Aysu Biçer/Agência Anadolu]

O financiamento da União Europeia (UE) para organizações palestinas de direitos humanos não deixa de ter suas ressalvas. Em consonância com as suas supostas iniciativas de construção do Estado, a UE impôs restrições às organizações palestinas e seus esforços, em troca de ajuda financeira, sufocando assim uma parte importante da mobilização popular em termos de preservação da resistência e da cultura palestinas.

À medida que as restrições da UE às organizações palestinas aumentavam a ponto de interferir na política palestina, a recém-lançada Campanha Nacional Palestina para Rejeitar o Fundo Condicional instou as organizações palestinas e internacionais a tomar uma posição clara contra as supostas ‘cláusulas antiterrorismo’ da UE.

Em uma carta aberta, o Centro de Recursos BADIL para Direitos de Residências e Refugiados da Palestina descreveu como, para acessar o financiamento da UE, espera-se que as organizações palestinas ajam como informantes contra as pessoas envolvidas na resistência. A exigência da UE é mais um processo que facilita a fragmentação da sociedade palestina, numa época em que os EUA isolam rapidamente a Palestina, em termos de diplomacia e história.

A carta da BADIL afirma que, devido às campanhas israelenses contra o financiamento da UE para organizações palestinas: “As restrições de financiamento de vários doadores aumentaram, incluindo condições às quais resistimos, como impedir o envolvimento na Campanha de Boicote, Desinvestimento e Sanções da Palestina (BDS), a defesa e promoção do direito de retorno e programas e projetos em áreas como a Faixa de Gaza ou a Palestina 1948 (Israel). ”

Ao escrever para o ministro das Relações Exteriores da UE, Josep Borrell, o ministro da Segurança de Israel, Gilad Erdan, pediu uma recusa das demandas das organizações palestinas, reiterando a insistência da UE de que os fundos “vão apenas para organizações sem vínculos com grupos terroristas”, com referência específica Frente Popular de Libertação da Palestina (FPLP).

No entanto, a FPLP não é a única entidade política alvo das recentes estipulações. Também são mencionadas organizações políticas envolvidas na resistência, incluindo o Hamas, a Jihad Islâmica e as Brigadas Al-Aqsa. BADIL observa: “Esta escalada não pode ser separada de todas as políticas e abordagens destinadas a obliterar os direitos nacionais palestinos”.

Com essas restrições, quando se trata do importante elo entre a sociedade civil palestina e a resistência palestina, a UE sabe que está lançando um obstáculo adicional quando se trata do reconhecimento da luta legítima dos palestinos. As condições prévias em relação à ajuda financeira às organizações palestinas estão ampliando o fosso entre as instituições políticas diplomaticamente aceitáveis na Palestina e as facções palestinas cujo compromisso de promover a luta pela libertação rendeu-lhes o rótulo de terror. No entanto, como BADIL afirmou em sua carta, o status das facções palestinas “não é determinado por um documento europeu”. Por outro lado, a colonização sionista da Palestina, que viola todos os aspectos dos direitos humanos e da legitimidade política, foi poupada do rótulo de terror devido à cumplicidade internacional no processo.

A UE pode se mostrar uma entidade que promove os direitos palestinos, mas seu papel está mais preocupado em encontrar entidades palestinas dispostas a promover sua diplomacia – em detrimento, é claro do povo palestino. À luz de todas as restrições que os palestinos enfrentam, incluindo outros crimes de guerra na forma de expansão dos assentamentos, o mínimo que a UE pode fazer é abster-se de emular as políticas dos EUA no que diz respeito à Palestina e suas perspectivas de libertação e independência.

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a política editorial do Middle East Monitor.

Categorias
BlogBlogs - PoliticsEuropa & RússiaOpiniãoOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestinaUE
Show Comments
Show Comments