Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Número de mortos na guerra no Iêmen vai a 100 mil

Membros do Crescente Vermelho Iêmen realizam uma operação depois que as forças da coalizão lideradas pela Arábia Saudita realizaram ataques aéreos em Dhamar, Iêmen, em 1º de setembro de 2019 [Mohammed Hamoud/Agência Anadolu]

A guerra no Iêmen já matou mais de 100.000 desde que o conflito aumentou em 2015, após a intervenção conjunta liderada pelos sauditas e pelos Emirados Árabes Unidos.

Os números sombrios dos marcos estão de acordo com um projeto de banco de dados líder que monitora o conflito, o projeto de Localização de Conflitos Armados e Dados de Eventos (ACLED), e inclui mais de 12.000 civis mortos em “ataques diretos”.

Este ano foi particularmente violento para o Iêmen, com aproximadamente 20.000 pessoas mortas, tornando 2019 o segundo ano mais mortal já registrado após 2018, que deixou 30.800 mortos.

Leia: Sudão retira 10.000 soldados sudaneses do Iêmen

Em termos de mortes de civis este ano, a ACLED descobriu que até 1.100 vidas foram perdidas, com as províncias mais direcionadas resultando em mortes de civis sendo Dhale, Hudaydah, Hajjah e Taiz.

A ACLED havia relatado anteriormente que a coalizão anti-houthi era “a mais responsável pelas mortes de civis”. Os números atuais sugerem que a coalizão foi responsável por mais de 8.000 mortes de civis desde o início da intervenção militar em março de 2015, com o objetivo de adiar o controle houthi nas províncias do norte, incluindo a capital Sanaa desde 2014.

Os ataques aéreos tiveram um declínio desde 2015, mas houve um aumento de compromissos no terreno. Embora as estatísticas incluam os mortos em ataques aéreos, bombardeios e batalhas no solo, os números não refletem as pessoas que morreram como resultado de fome e doenças provocadas pela crise humanitária em curso, descrita como a pior do mundo pelo mundo. ONU, o que aumentaria o número de mortos.

Categorias
Arábia SauditaEmirados Árabes UnidosIêmenOriente Médio
Show Comments
Show Comments