Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ministério das Relações Exteriores de Israel alerta para crise diplomática por detenções

Manifestantes jordanianos carregam faixas e gritam slogans contra seu governo e Israel em protesto contra o acordo Gás Jordânia-Israel em Amã, na Jordânia, em 30 de setembro de 2016.

O Ministério das Relações Exteriores de Israel alertou o governo e os serviços de segurança de que a prisão e detenção administrativa de dois cidadãos da Jordânia poderia levar a uma crise diplomática com a Jordânia.

O jornal israelense Yedioth Ahronoth disse que o conselheiro de segurança nacional, Meir Ben-Shabbat, pretende visitar a Jordânia nos próximos dias, na tentativa de resolver a questão da detenção de Hiba Al-Labadi e Abdel Rahman Miri.

As autoridades de segurança israelenses prenderam Al-Labadi em 20 de agosto e Miri em 12 de setembro na passagem da fronteira entre a Jordânia e a Cisjordânia ocupada por israelenses e os mantiveram em detenção administrativa sem acusação ou julgamento.

Em protesto contra sua detenção ilegal, Al-Labadi lançou uma greve de fome há mais de um mês e foi transferido para o hospital duas vezes antes de retornar à prisão. Miri luta contra o câncer desde 2010.

A advogada Raslan Mahajneh, que representa os dois prisioneiros, disse que a saúde de Al-Labadi agora está estável, mas pode se deteriorar rapidamente como resultado de sua contínua greve de fome.

A prisão de Al-Labadi e Miri provocou protestos nas ruas da Jordânia e nas mídias sociais.

O Ministério das Relações Exteriores da Jordânia disse em comunicado na terça-feira que convocou seu embaixador em Tel Aviv para consultas “em protesto contra a contínua detenção ilegal e desumana de Israel dos cidadãos jordanianos, Hiba Al-Labadi e Abdul Rahman Miri”.

“Responsabilizamos o governo israelense pela vida de nossos cidadãos cujas condições de saúde se deterioraram severamente em detenções arbitrárias ilegais”, escreveu no terça-feira o ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Ayman Al-Safadi. “Tomaremos todas as medidas legais e diplomáticas necessárias para garantir um retorno seguro para casa”, acrescentou.

Enquanto isso, a Jordânia anunciou que havia prendido um homem israelense que tentou entrar ilegalmente no reino.

Nidal Ta’ani, chefe da Comissão Parlamentar de Relações Exteriores da Jordânia, disse que o homem poderia ser usado como moeda de troca para libertar Al-Labadi e Miri.

Categorias
IsraelJordâniaNotíciaOriente MédioPalestine
Show Comments
Show Comments