Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

A ajuda condicional da UE e a supressão dos direitos palestinos

O novo chefe de Política Externa da União Europei, ministro, Josep Borrell, em Madri. Em 17 de setembro de 2018 [Burak Akbulut/Agência Anadolu]

O novo chefe de política externa da União Européia, Josep Borrell, já sinalizou a continuação da política predominante do bloco no que diz respeito à Palestina – preservar o compromisso de dois estados, garantindo financiamento à Autoridade Palestina.

“Se alguém ajuda os palestinos hoje e seu direito de ter seu próprio estado, esta é a Europa”, declarou Borrell na Comissão de Relações Exteriores do Parlamento Europeu. A verdade é que a Europa também não ajuda. Preocupa-se apenas em manter sua influência quando se trata do compromisso de dois estados e das narrativas de construção da paz, que servem à agenda política da União Europeia.

Resumindo a essência da política externa no que diz respeito à Palestina, Borrell twittou: “A UE contribui com quase um milhão de euros por dia para participar da Autoridade Palestina. Temos de continuar a defender uma coexistência pacífica e a solução dos dois estados. ” É uma descrição sucinta do que constitui o financiamento da UE – fornecer à AP o apoio necessário para funcionar sem a existência de um estado palestino.

Em seu Twitter, Borrel também diz: Devemos continuar a defender uma coexistência pacífica e a solução dos dois Estados.

Para a UE, manter o paradigma de dois estados no comando das políticas funciona melhor do que a implementação, que agora é inaplicável de qualquer maneira. A pretensão de construção do Estado, da qual a AP faz parte, também é um verniz que muda o foco dos lucrativos acordos comerciais da UE com Israel. Borrell já declarou, sem surpresa, que os acordos comerciais da UE com Israel não serão quebrados. Em 2017, o comércio Israel-UE totalizou 36,2 bilhões de euros, o que empalidace em comparação com a assistência da UE à AP.

Para os palestinos, portanto, a UE financia apenas hipóteses – nas palavras de Borrell, “a possibilidade da criação de um estado palestino que possa coexistir pacificamente com um estado israelense”. A UE pode afirmar ser o maior doador para os palestinos, mas está financiando sua própria agenda, em vez de fornecer os meios para os palestinos exigirem seus direitos políticos legítimos.

Acordos de Oslo, 25 anos – Cartum [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Os Acordos de Oslo, que permitiram a Israel colonizar terras palestinas adicionais, não foram repudiados pela UE. Pelo contrário, não houve contestação da estrutura por ela ter retirado os palestinos do que restava de suas terras e liberdade. Com a AP, cúmplice voluntária, a UE nunca foi desafiada pelos burocratas políticos palestinos a defender os direitos do povo. Por outro lado, a Autoridade Palestina pede ajuda à UE para manter as violações impostas por Israel e às quais a comunidade internacional faz vista grossa.

A Europa não está ajudando os palestinos a chegar ao Estado – está mantendo a ilusão de Estado como um projeto interino, enquanto Israel coloniza o que resta do território palestino. Os acordos de Oslo são vagos e assim é a política da UE em relação à Palestina. Em vez de buscar parâmetros claros para descolonizar a Palestina, a UE está adotando as mesmas ambiguidades que transformaram os palestinos em um projeto humanitário contra sua vontade.

A UE está apenas financiando sua justificativa injustificada do paradigma de dois estados e forçando os palestinos a receber ajuda financeira condicional. Embora nada de novo seja esperado quando se trata da paz fictícia da UE e da construção do estado para os palestinos, Borrell indicou a agenda da UE antecipadamente – o financiamento de agendas e ilusões para permitir o projeto colonial em andamento de Israel.

 

 

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a política editorial do Middle East Monitor.

Categorias
BlogBlogs - PoliticsIsraelOpiniãoOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestineUE
Show Comments
Show Comments