Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

19 anos depois, assassinos de Muhammad Al-Durrah ainda andam livres

O assassinato de Muhammad al-Durrah ocorreu na Faixa de Gaza em 30 de setembro de 2000, no segundo dia da Segunda Intifada, durante tumultos generalizados nos territórios palestinos.

Em 30 de setembro de 2000, Muhammad Al-Durrah, de 11 anos, foi morto a tiros por soldados israelenses na Faixa de Gaza. Seu pai Jamal, que tentou proteger seu filho de uma série de balas, foi ferido. Os assassinos do garoto nunca foram levados à justiça.

Dois dias antes, em 28 de setembro, o então líder da oposição israelense Ariel Sharon (1928-2014) marchou para o Nobre Santuário da Mesquita Al-Aqsa com um número de oficiais israelenses de direita protegidos por 2.000 policiais militares. Muçulmanos palestinos dentro da mesquita Al-Aqsa protestaram por sua visita provocativa.

As imagens da resposta brutal da polícia à manifestação causam indignação entre os palestinos em todos os lugares e levaram à Intifada Aqsa. A revolta durou até fevereiro de 2005 e quase 5.000 palestinos foram mortos, incluindo pouco menos de 1.000 crianças.No dia em que Muhammad Al-Durrah foi morto, um grupo de palestinos enfurecidos se aproximou do assentamento israelense de Netzarim no meio da Faixa de Gaza, que ainda estava ocupado na época. Atiraram pedras nos soldados da ocupação israelense que montavam um posto de controle militar no portão leste.

Enquanto o menino e seu pai procuravam abrigo atrás de uma pequena estrutura de concreto, Jamal Al-Durrah gritava com os soldados israelenses para parar de atirar na criança. Seus gritos foram ignorados e Muhammd foi atingido várias vezes e morreu no colo de seu pai.

As imagens do tiroteio se espalharam ao redor do mundo. No entanto, nenhuma organização internacional jamais pediu que os assassinos da criança fossem julgados por seu assassinato. Os defensores da justiça para o povo da Palestina apontam que, 19 anos após o assassinato de Muhammad Al-Durrah, Israel continua matando palestinos, incluindo crianças, com impunidade.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestineSlide Grande
Show Comments
Show Comments