Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Feira de Reconstrução da Síria reúne 400 empresas de 31 estados árabes e estrangeirosh

Registro de drone revela a destruição estrutural do município de Arbin, sob cerco do regime de Bashar al-Assad, na região de Ghouta Oriental, nos subúrbios de Damasco, Síria, 9 de março de 2018 [Ammar Al Bushy/Agência Anadolu]

A Rebuild Syria Expo, uma feira de campanha e negócios para a reconstrução do país devastado pela guerra, começou com a participação de 390 empresas de 31 estados.

Iniciada ontem para terminar no sábado, a exposição está sendo realizada na capital Damasco, com representantes de diversos setores, como energia, saúde, agricultura, educação, telecomunicações, imóveis, transporte, segurança, tecnologia da água e tecnologia da informação. em um esforço para ajudar o país a se recuperar depois de uma guerra civil de oito anos que devastou grande parte de seu território e deslocou sua população.

Em um comunicado à Agência de Notícias Árabe da Síria (SANA), o ministro assistente de Obras Públicas e Habitação, Mohammad Saif Eddin, disse que a feira é uma chance do regime sírio se familiarizar com uma infinidade de empresas que oferecem tecnologias modernas de construção como parte significativa do processo de reconstrução. Ele também afirmou que a grande participação de empresas estrangeiras na campanha de reconstrução é prova do retorno da Síria à recuperação econômica e à vida normal.

Representantes do Irã, China e Itália estão entre os expositores, juntamente com empresas do Líbano, Iraque, Omã e Emirados Árabes Unidos (EAU), colocando em pé a potencial re-normalização dos laços com o regime do presidente Bashar Al-Assad, apesar de seus crimes de guerra e violações dos direitos humanos durante todo o conflito.

Sinais desse reconhecimento da legitimidade de Assad foram vistos após a rápida recuperação do território pelo regime e sua consolidação no poder nos últimos dois anos, com a ajuda da Rússia e do Irã, particularmente após a Liga Árabe considerar a readmissão do país.

Os Emirados Árabes Unidos e Omã já começaram a restabelecer os laços com a Síria, com os Emirados reabrindo sua embaixada em Damasco em 2018 e nomeando um setor de negócios. O ministro das Relações Exteriores de Omã visitou Al-Assad em julho.

Categorias
Ásia & AméricasChinaEmirados Árabes UnidosIrãOriente MédioSíria
Show Comments
Show Comments