Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Liberdade de expressão sobre a Palestina está sendo suprimida, diz carta ao The Guardian

Antissemitismo e Crítica de Israel - Cartoon [Latuff /Monitor do Oriente Médio]

A liberdade de expressão na Palestina está sendo suprimida em nome de uma definição controversa de antissemitismo, diz uma carta publicada pelo The Guardian, assinada por mais de duas dezenas de jornalistas.

A carta destaca a recente decisão do conselho de Tower Hamlets, em Londres, de impedir que um passeio ciclístico para arrecadação de fundos usasse o espaço de um de seus parques.

Foi posteriormente revelado que as autoridades se recusaram a sediar o evento de caridade para o Big Ride for Palestine por causa de “temores de que suas críticas a Israel possam violar as diretrizes sobre antissemitismo”.

Na carta, os signatários apontam para os e-mails obtidos sob uma solicitação de liberdade de acesso à informação e publicados, mostrando que “o conselho temia que essa defesa da Palestina violasse a definição de antissemitismo da Aliança Internacional de Recordação do Holocausto (IHRA)”.

“Esse uso da definição da IHRA demonstra a real ameaça que esta representa à liberdade de expressão, ignorando a proteção em nossa legislação dos direitos nacionais”, afirma a carta.

“Grupos palestinos, eminentes advogados, especialistas acadêmicos em antissemitismo, proeminentes judeus britânicos e órgãos como o Instituto de Relações Raciais já haviam levantado essas preocupações publicamente”, continua.

“Os direitos de todos os cidadãos britânicos de descrever, informar e transmitir com exatidão a realidade da expropriação palestina em andamento e de exigir ações para resistir a essas ilegalidades pertencem ao espaço público. Todos os órgãos públicos têm a obrigação de proteger e defender esses direitos e manter a democracia ”.

A carta termina descrevendo a decisão da autoridade local como uma demonstração dramática “de que a liberdade de expressão sobre a Palestina neste país está sendo suprimida”.

“É exatamente isso que nós e muitos outros repetidamente advertimos. Este perigoso silenciamento agora em curso deve parar ”, conclui.

Os signatários incluem o presidente e o diretor da Campanha de Solidariedade à Palestina, Kamel Hawwash e Ben Jamal, respectivamente, Salma Karmi Ayyoub Barrister e o membro do Conselho Britânico de Política Palestina, Geoffrey Bindman QC, assim como muitos outros acadêmicos, defensores dos direitos humanos e advogados.

Categorias
Europa & RússiaNotíciaOriente MédioPalestineReino Unidos
Show Comments
Show Comments