Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Euro-Med para a União Europeia: Pare de financiar projeto que favorece os assentamentos israelenses

Colonos israelenses espalham slogans racistas em Jerusalém Oriental em 1º de abril de 2019 [Agência Safa]

O Observatório Euro-Mediterrânico dos Direitos Humanos (Euro-Med) enviou uma carta urgente à Comissão Europeia da União Europeia relativamente à sua participação no financiamento do EuroAsia Interconnector, um projecto de transmissão de energia com vista a construir a infra-estrutura necessária para ligar as fontes de energia entre Israel, Chipre e Grécia, relata Ma’an News.

O projeto, previsto para ser implementado em junho de 2019, com um orçamento estimado de 3,5 bilhões de euros, não só ligará a infraestrutura de eletricidade entre cidades israelenses com a Grécia e Chipre, como também incluirá assentamentos ilegais nos territórios palestinos ocupados. incluindo a Jerusalém Oriental ocupada.

De acordo com um comunicado de imprensa da Euro-Med, a UE tem sido rotulada como um dos financiadores e apoiadores do projeto que nutre e fortalece assentamentos construídos ilegalmente em terras palestinas na Cisjordânia e em Jerusalém, um movimento que mostra desrespeito ao direito internacional. e equivale a cumplicidade em crimes israelenses de guerra e contra a humanidade.

Audrey Ferdinand, pesquisadora jurídica da Euro-Med, disse: “A UE deve aderir às suas obrigações legais sob o direito internacional, inclusive de não violar seu próprio compromisso de longa data com uma solução de dois Estados.”

Ferdinand enfatizou: “Enquanto Israel trabalha em projetos para aumentar suas fontes de energia, o estado nega aos palestinos o acesso a necessidades básicas como energia e água limpa”, conclamando a UE a “respeitar suas obrigações internacionais e não estabelecer parcerias com Estados violadores de direitos humanos internacionais e do direito internacional humanitário (direito de guerra) há décadas ”.

A Euro-Med manifesta profundo choque e surpresa com as políticas contraditórias e as práticas não neutras da União Europeia. Por um lado, financia projetos para ajudar os palestinos que sofrem sob ocupação, por outro financia projetos que atendem a colonos israelenses, chamando a decisão de “lógica de duplo padrão”.

O Euro-Med exortou a União Europeia a reconsiderar seriamente as suas políticas tendenciosas em favor das autoridades israelenses à custas do povo palestiniano, a cumprir as suas obrigações em matéria de direitos humanos e a superar o discurso do interesse próprio, para pôr fim ao projeto, já que Israel continua a expandir suas atividades de assentamento ilegal na Cisjordânia e Jerusalém Oriental, e a não recompensá-los por tal registro infame de abusos dos direitos humanos.

Categorias
CyprusEuropa & RússiaGréciaIsraelNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestinaUE
Show Comments
Show Comments