Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Vídeo prova que Abu Akleh foi morta por soldado israelense, confirma perito

Um novo modelo de arquitetura forense constatou que um franco-atirador israelense não apenas viu Shireen Abu Akleh, como mirou acima de seus ombros; isto é, atirou para matar

Israel assassinou Shireen Abu Akleh, jornalista palestino-americana da Al Jazeera, em 11 de maio, durante uma invasão ao campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia ocupada. A repórter de 51 anos cobria os incidentes em questão, com identificação de imprensa em seu colete e capacete. No entanto, foi baleada na cabeça por um franco-atirador.

Israel nega ter atacado o grupo de jornalistas e insiste que, embora “altamente provável” que tenha sido atingida por um de seus soldados, “não há qualquer suspeita de ato criminoso”.

Um novo modelo digital de arquitetura forense, contudo, reencenou o episódio e desmentiu a versão israelense. Por meio da ferramenta, o centro al-Haq conseguiu determinar que um franco-atirador israelense não apenas viu Shireen Abu Akleh e seus colegas, como mirou acima de seus ombros; isto é, atirou para matar.

O MEMO contactou Nour Abuzaid, chefe de pesquisa de arquitetura forense do centro al-Haq, para obter mais informações.

LEIA: ONU renova pedido de responsabilização dos assassinos de Shireen Abu Akleh

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments