Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Aplicativo ‘delator’ pode ter causado prisão de mãe saudita, em meio ao crescente autoritarismo digital

Logotipo do Twitter na tela de um iPhone 5 da Apple Inc. [Imagens Chesnot/Getty Images]

Uma mãe saudita e estudante de doutorado que foi condenada esta semana a 34 anos de prisão por expressar sua opinião pessoal no Twitter pode ter sido incriminada por meio de um aplicativo de segurança saudita projetado para delatar concidadãos, foi revelado.

De acordo com o jornal The Guardian, o aplicativo Kollona Amn – que significa ‘somos todos segurança’ – foi possivelmente o responsável pela prisão de Salma Al-Shehab, há quase dois anos, e sua condenação nesta semana.

Depois de escrever “finalmente!” em resposta às notícias de um projeto de transporte saudita, a mãe e a estudante de doutorado da Universidade de Leeds receberam uma mensagem da conta de um homem aparentemente saudita em 15 de novembro de 2020, que lhe disse que a havia denunciado às autoridades sauditas por meio do aplicativo.

Após seu retorno à Arábia Saudita em dezembro de 2020, ela foi então presa pelas forças de segurança e submetida ao processo que agora terminou com ela sendo acusada de “ajudar aqueles que buscam causar distúrbios públicos e desestabilizar a segurança civil e nacional seguindo suas contas no Twitter. “.

LEIA: Arábia Saudita pressiona YouTube a remover publicidade ‘ofensiva’

Não foi verificado diretamente se o aplicativo e a reclamação da usuária do Twitter foram responsáveis ​​por sua provação, mas suspeita-se que possivelmente tenha desempenhado um papel significativo. De acordo com sites sauditas, o aplicativo permite que cidadãos enviem relatórios criminais e de segurança relacionados a ataques à vida pessoal, ameaças, falsificação de identidade, extorsão, invasão de contas de mídia social, difamação, fraude e outras ofensas criminais e relatórios de segurança.

Apesar de tal descrição oficial, o aplicativo foi descrito pelos críticos como um portal através do qual as autoridades sauditas podem reprimir ainda mais as menores formas de dissidência e que permite que as pessoas ‘denunciem’ e delatem concidadãos ou expatriados.

Segundo o jornal, Noura Aljizawi, pesquisadora do Citizen Lab da Universidade de Toronto, no Canadá, afirmou que o aplicativo e seu uso representam uma “nova fase do autoritarismo digital”. Embora anteriormente “esse tipo de censura fosse conduzido por forças de inteligência de segurança… agora ter esses aplicativos e incentivar os cidadãos a denunciar uns aos outros está abrindo as portas para a censura maciça”, disse Aljizawi.

“É muito preocupante porque as pessoas que publicam algo não podem prever o risco ou quem vai denunciá-lo, e quem vai voltar e procurar em seu feed por postagens que não se alinham com a propaganda do governo”, disse ela. Referindo-se às suas próprias experiências de vigilância semelhante na Síria, a pesquisadora explicou que “às vezes as pessoas se encontram em apuros. Eles precisam de uma promoção ou precisam provar sua lealdade ao Estado, então eles fazem algo assim. Basta fazer uma captura de tela e denunciar.”

Categorias
Arábia SauditaNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments