Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Colonos invadem Al-Aqsa em meio a planos para Marcha da Bandeira em Jerusalém

Colonos israelenses invadiram o complexo islâmico de Al-Aqsa, em Jerusalém Oriental, na manhã deste domingo (29), em meio a tensões sobre uma marcha organizada por grupos ultranacionalistas na cidade ocupada.

As informações são da agência de notícias Anadolu.

Testemunhas relataram que a polícia israelense invadiu o pátio da mesquita para dar espaço a colonos ilegais, que adentraram no local pelo Portão de al-Mugharbah. As tropas da ocupação dispersaram palestinos que realizavam suas preces no local; alguns fiéis foram detidos.

O parlamentar de extrema-direita Itamar Ben Gvir e correligionários foram avistados dentre o grupo que invadiu o complexo neste domingo.

Os colonos planejam realizar ainda sua controversa “Marcha da Bandeira”, para comemorar a captura de Jerusalém, em 1967.

Os palestinos consideram a marcha — marcada por agressões coloniais e gritos racistas nas ruas árabes da cidade — como ato de provocação, que pode resultar em mais uma onda de violência nos territórios ocupados.

A Mesquita de Al-Aqsa é o terceiro lugar mais sagrado para o Islã. Colonos radicais descrevem o complexo como “Monte do Templo”, ao insistir se tratar da localidade de dois templos judaicos da Antiguidade. Desde 2003, Israel permite a invasão de colonos quase diariamente.

Israel ocupou Jerusalém Oriental, onde situa-se Al-Aqsa, em 1967, durante a chamada Guerra dos Seis Dias. Em 1980, o estado sionista anexou toda a cidade — medida jamais reconhecida pela comunidade internacional.

 LEIA: O martírio e a imortalidade da Voz da Palestina

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments