Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Houthis torturaram três jornalistas no Iêmen, diz grupo de direitos humanos

1
Houthis em Sana'a, Iêmen, 21 de setembro de 2019 [Mohammed Hamoud/Agência Anadolu]

O Sindicato dos Jornalistas do Iêmen anunciou ontem que três jornalistas detidos pelo grupo Houthi na capital Sanaa foram submetidos a tortura, informou a Agência Anadolu.

O grupo de direitos humanos disse que “recebeu um relatório das famílias dos jornalistas Abdel-Khaleq Omran, Tawfiq Al-Mansoori e Harith Hamid, que estão detidos desde 2015 em Sanaa, afirmando que foram espancados, abusados e torturados na prisão”.

Condenou “esta repressão brutal e métodos arbitrários”, dizendo que responsabiliza os houthis pelo “crime sistemático contra outros detidos”.

Também expressou “forte desaprovação à insistência do grupo em torturar jornalistas que enfrentam sentenças de morte injustas e vivem em condições de detenção muito duras e ilegais há quase sete anos”.

Pedindo sua libertação imediata, o órgão disse: “Esses crimes contra colegas jornalistas não têm prazo de prescrição e seus autores não ficarão impunes”.

LEIA: Houthis tentam destruir memorial turco na capital do Iêmen

Não houve comentários imediatos dos houthis.

Em 11 de abril de 2020, os houthis condenaram à morte os quatro jornalistas, incluindo os três nomeados pelo Sindicato dos Jornalistas do Iêmen, sob a acusação de colaborar com a coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita, uma mudança que os jornalistas negam.

De acordo com a Repórteres Sem Fronteiras (RSF), o Iêmen está classificado na 169ª posição entre 180 países no Índice Mundial de Liberdade de Imprensa de 2021.

Categorias
IêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments