Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Refugiado sírio é encontrado afogado em um rio na fronteira entre Bielorrússia e Polônia

Pessoas participam de uma manifestação de protesto em solidariedade aos migrantes que foram empurrados de volta na fronteira da Polônia com a Bielo-Rússia em Varsóvia, 17 de outubro de 2021 [Wojtek Radwanski/AFP/Getty Images]

As autoridades polonesas descobriram o cadáver de um refugiado sírio afogado em um rio, que teria sido empurrado por guardas de fronteira da Bielo-Rússia.

O refugiado de 19 anos foi encontrado no rio Bug, ao longo da fronteira entre a Polônia e a Bielo-Rússia, na tarde de ontem, perto da aldeia de Woroblin, após uma busca realizada desde a manhã de terça-feira. As autoridades polonesas da fronteira foram informadas sobre o desaparecimento do homem por outro refugiado sírio que foi empurrado no rio com ele, mas sobreviveu.

De acordo com a Agência de Imprensa Polonesa (PAP, na sigla em inglês), o porta-voz da polícia regional, Andrzej Fijołek, disse que a identidade do sírio afogado “foi confirmada por outro jovem com quem ele tentou cruzar ilegalmente o local um dia antes”. Ele acrescentou que “também encontramos documentos com o corpo. Portanto, não há dúvida de que é ele”.

Os guardas de fronteira da Bielo-Rússia teriam empurrado os homens no rio para forçá-los a cruzar a fronteira com a Polônia, apesar do fato de que “nenhum deles sabia nadar”.

LEIA: Após 10 anos de sofrimento, famílias na Síria estão “exaustas”

A morte do refugiado, cujo nome não foi mencionado, eleva para sete o número de mortos registrados no lado polonês da fronteira, em meio a um aumento nas tentativas de travessia de refugiados e migrantes da Síria e de outros países do Oriente Médio, como o Iraque.

Depois de receber a oferta de transporte para a capital da Bielorrússia, Minsk, por contrabandistas – com a falsa promessa de que faz parte da União Europeia (UE) e que seus direitos seriam protegidos – muitos dos refugiados e migrantes então tentam fugir do país para estados vizinhos como Polônia e Lituânia. A maioria deles, no entanto, morre de hipotermia.

Nos últimos meses, surgiram vários relatos de forças bielorrussas mantendo refugiados na fronteira, espancando-os e abusando deles, muitas vezes antes de forçá-los a atravessar. Como muitos deles pretendem chegar à Alemanha e solicitar refúgio lá, a Alemanha acusou a Bielo-Rússia de armamento dos refugiados.

De acordo com os guardas de fronteira poloneses, a grande maioria dos refugiados que entram no país são iraquianos, seguidos por afegãos e depois sírios. Em agosto, o Iraque garantiu que está tomando medidas para proteger seus cidadãos retidos na fronteira entre a Bielorrússia e a Lituânia, condenando a vasta rede de tráfico e contrabando de pessoas que se beneficia com a crise.

LEIA: Refugiados que retornam enfrentam abusos graves na Síria, acusa HRW

Categorias
Europa & RússiaNotíciaOriente MédioPolôniaSíria
Show Comments
Show Comments