Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Pesquisadores palestinos desafiam restrições para competir no exterior

Então Chanceler da Alemanha Angela Merkel durante cerimônia de abertura da Conferência Falling Walls, na Nova Galeria Nacional de Berlim, em 8 de novembro de 2014 [Michael Ukas/Getty Images]
Então Chanceler da Alemanha Angela Merkel durante cerimônia de abertura da Conferência Falling Walls, na Nova Galeria Nacional de Berlim, em 8 de novembro de 2014 [Michael Ukas/Getty Images]

Ao aguardar a chegada dos novos pesquisadores palestinos na Universidade de Birzeit, na Cisjordânia ocupada, Majdi Mafarja demonstra felicidade ao ver colegas e compatriotas desafiando as restrições israelenses para levar suas ideias à Conferência Falling Walls de Berlim.

A Conferência Falling Walls é uma competição global e interdisciplinar de estudantes, pesquisadores e profissionais em início de carreira, para apresentar ideias inovadoras.

O evento é inspirado pela queda do Muro de Berlim, que abriu caminho para a reunificação da Alemanha, em 3 de outubro de 1990.

“A Palestina está repleta de mentes criativas que podem converter seu conhecimento teórico a projetos aplicados, capazes de competir internacionalmente”, declarou Mafarja, professor do Departamento de Ciências da Computação de Birzeit, à agência Anadolu.

LEIA: Após amputação, motorista de ambulância torna-se campeão de halterofilismo

Pelo quinto ano consecutivo, a universidade ajuda a organizar o evento, apesar das restrições israelenses que impedem pesquisadores palestinos de participar in loco.

Israel impõe um bloqueio severo à Faixa de Gaza desde 2007, afetando gravemente a subsistência da população local. Neste entremeio, protestos tornaram-se comuns nos territórios ocupados, incluindo Jerusalém, à medida que condições e serviços se deterioraram.

Viagens e importações são basicamente controladas pelo exército israelense. É quase impossível a pesquisadores que participem de conferências ou oficinas internacionais; itens e materiais de estudo são praticamente inacessíveis.

Categorias
AlemanhaEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments