Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã convida AIEA para conversar, antes de confrontação com Ocidente

Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), durante coletiva de imprensa em Viena, Áustria, 7 de junho de 2021 [Askin Kiyagan/Agência Anadolu]
Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), durante coletiva de imprensa em Viena, Áustria, 7 de junho de 2021 [Askin Kiyagan/Agência Anadolu]

Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), chegou a Teerã neste fim de semana para realizar uma série de conversas capazes de atenuar o impasse entre o regime iraniano e países ocidentais, segundo relatos.

Sua viagem ocorre em meio a receios de escalada regional e colapso das negociações em curso sobre o acordo nuclear, assinado em 2015 e revogado três anos depois pelo então Presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

As informações são da agência Reuters.

Três diplomatas próximos ao caso confirmaram que a visita busca antecipar uma reunião do Conselho de Governadores da agência de monitoramento das Nações Unidas — composto por 35 países —, marcado para a próxima semana

Entretanto, outros diplomatas alegaram carecer de confirmação dos fatos.

A AIEA não comentou a suposta viagem até então.

Dois diplomatas destacaram que a chegada de Grossi à capital iraniana estava prevista para a manhã deste domingo (12), a fim de encontrar-se com Mohammad Eslami, novo chefe da Organização de Energia Atômica do Irã.

LEIA: Acordo nuclear em Viena está ‘próximo’, afirma Irã

Nesta semana, a AIEA informou seus estados-membros que não houve progresso em duas questões centrais: traços de urânio encontrados em locais não declarados e acesso a equipamentos, para que a agência continue a avaliar o programa nuclear iraniano.

Conversas indiretas entre Washington e Teerã, para que ambos retomem o cumprimento dos termos do acordo, permanecem paralisadas desde junho. Sob o pacto, o regime iraniano deve restringir suas atividades atômicas em troca da suspensão de sanções.

As potências ocidentais exortam o presidente linha-dura Ebrahim Raisi, empossado em agosto, a retornar ao diálogo. Neste contexto, podem pressionar o conselho da AIEA a introduzir uma resolução contra Teerã, devido aos obstáculos impostos.

As partes europeias do acordo — Reino Unido, França e Alemanha — reuniram-se em Paris com os Estados Unidos na sexta-feira (10), para debater alternativas caso o Irã mantenha sua postura de incomplacência. Porém, segundo as fontes, nenhuma decisão foi tomada.

Os estados-membros do Conselho de Governadores da AIEA deverão aguardar a visita de Grossi para ver se a república islâmica enfim concede acesso de monitoramento ou oferece resposta sobre as partículas de urânio descobertas em locais não declarados.

Categorias
AIEAAlemanhaEuropa & RússiaIrãNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioReino UnidoUnião Europeia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments