Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Chefe do CCG pede à União Europeia que pressione os houthis pelo fim dos ataques em Marib

Secretário-geral do Conselho de Cooperação do Golfo, Nayef bin Falah al-Hajraf, dá uma entrevista coletiva no final da 41ª cúpula do GCC, na cidade de al-Ula, no noroeste da Arábia Saudita, em 5 de janeiro de 2021. [Fayez Nureldine/AFP via Getty Images]
Secretário-geral do Conselho de Cooperação do Golfo, Nayef bin Falah al-Hajraf, dá uma entrevista coletiva no final da 41ª cúpula do GCC, na cidade de al-Ula, no noroeste da Arábia Saudita, em 5 de janeiro de 2021. [Fayez Nureldine/AFP via Getty Images]

O secretário-geral do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), Nayef Bin Falah Al-Hajraf, pediu ontem à União Europeia que pressione o grupo houthi do Iêmen para “parar seus ataques” na província de Marib, a leste do Iêmen.

Al-Hajraf fez o comentário durante encontro com os embaixadores da União Europeia na Arábia Saudita, realizado na capital, Riad.

O oficial do CCG também apelou à União Europeia e à comunidade internacional para “exercer pressão sobre o grupo terrorista houthi para se juntar ao processo de paz, parar o ataque a Marib, parar de alvejar civis, bem como parar os ataques de mísseis na Arábia Saudita”.

Ele enfatizou a importância de mobilizar esforços internacionais para garantir as necessidades humanitárias do povo iemenita.

Ele exortou todas as partes a se absterem de quaisquer medidas que prejudiquem a transição política.

Há mais de duas semanas, os houthis escalaram seus ataques à governadoria de Marib, rica em petróleo; uma das fortalezas do governo iemenita e sede do ministério da defesa do governo.

O telefonema do chefe do CCG veio cerca de três semanas depois que o presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou o fim do apoio de Washington às operações da coalizão árabe liderada pelos sauditas no Iêmen.

A coalizão lidera operações contra os houthis desde 2015.

LEIA: HRW acusa grupo separatista do Iêmen de torturar jornalista

Categorias
Arábia SauditaGCCIêmenNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioUE
Show Comments
Show Comments