Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Erdogan pede fim da difamação em nome da liberdade de expressão

O presidente turco, Recept Tayyip Erdogan, em Istambul, Turquia, em 27 de novembro de 2020. [Arif Hüdaverdi Yaman/Agência Anadolu]
O presidente turco, Recept Tayyip Erdogan, em Istambul, Turquia, em 27 de novembro de 2020. [Arif Hüdaverdi Yaman/Agência Anadolu]

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, criticou a tendência da mídia de fechar os olhos deliberadamente à tentativa do governo francês de suprimir a liberdade de imprensa, informou a mídia turca. Erdogan fez seus comentários na cerimônia de inauguração do Fórum Mundial TRT na terça-feira.

A mídia internacional age de forma hipócrita em relação à Turquia, disse ele, tentando distorcer a realidade do país enquanto negligencia muitas práticas alarmantes em países europeus, como a França. “Desde os protestos de 2013 [no Parque Taksim Gezi, em Istambul], nosso país tem enfrentado uma postura séria de injustiça e dois pesos e duas medidas. As pessoas que atearam fogo nas ruas foram apresentadas como manifestantes pacíficos pelos meios de comunicação internacionais que transmitiram as manifestações ao vivo por 24 horas.”

A mídia sequer fornece cobertura precisa dos terroristas que estão matando centenas de milhares de civis na Síria, disse o presidente turco. “No entanto, quando eventos semelhantes acontecem em vários Estados europeus, aqueles que ousam nos dar uma lição sobre liberdade de imprensa brincam de avestruz.”

Eles ignoraram, ele apontou, os protestos do colete amarelo que duraram meses no centro de Paris. “Eles nunca mencionaram a intervenção desproporcional dos policiais franceses que cegou os manifestantes. Eles não disseram uma palavra sobre o bloqueio da mídia por instituições estatais francesas.”

LEIA: ‘Não deixaremos ninguém ferir os interesses da Turquia’, afirma ex-premiê adjunto do país

Erdogan criticou a crescente “digitalização” das plataformas de mídia que permitem às pessoas publicarem informações sem se preocupar com a lei. “A digitalização nos levará ao fascismo se for percebida como a área sem controle, aberta à arbitrariedade, fora da lei”, sugeriu.

O presidente turco acrescentou que, sob a premissa de “liberdade ilimitada [de expressão]”, novas vítimas surgem a cada dia. “As vítimas não conseguem encontrar nenhuma autoridade ou instituição legal para reivindicar os seus direitos. Um sistema em que quem comete o crime sai ileso não pode ser classificado como liberdade. À medida que a digitalização expande o campo dessa liberdade, não deve conduzir a novos desigualdades, injustiças e marginalização.” “A difamação em nome da liberdade de expressão deve parar”, ele insistiu.

Em conclusão, o presidente Erdogan observou que a mídia ocidental nunca menciona o sofrimento injusto das crianças palestinas nas mãos de Israel. “[Além disso], apenas alguns dias atrás, uma ambulância que transportava um palestino ferido foi detida e [soldados israelenses] tentaram prender a pessoa sob custódia. E não houve reação da mídia internacional.”

LEIA: França criminaliza o grupo ultranacionalista turco Lobos Cinzentos

Categorias
Europa & RússiaNotíciaTurquia
Show Comments
Show Comments