Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Presidente do Líbano anuncia que 17 casos de corrupção foram encaminhados ao judiciário

Presidente do Líbano Michel Aoun na capital Beirute, Líbano, em 24 de outubro de 2019 [Presidência do Líbano/Agência Anadolu]

O Presidente do Líbano Michel Aoun anunciou ontem (6) que dezessete casos de corrupção foram encaminhados ao judiciário do país.

A declaração de Aoun ocorreu logo após sua reunião com Saroj Kumar Jha, diretor regional do Banco Mundial.

Durante o encontro Jha destacou que sua entidade está “disposta a estender todo o apoio possível ao novo governo, comprometido com a boa governança e a criação de oportunidades para todo o povo libanês.”

Jha fez um apelo para que rapidamente seja formado um novo gabinete de governo e alertou para o fato de que a situação econômica no Líbano tornava-se cada vez “mais crítica”, de modo que uma recuperação seria “extremamente desafiadora”.

“Há uma necessidade urgente para interromper a crise econômica emergente no país,” reiterou o oficial do Banco Mundial.

Em resposta, Aoun afirmou que o novo governo terá “ministros competentes de boa reputação e livres de quaisquer suspeitas de corrupção.”

Protestos de massa eclodiram no Líbano há cerca de três semanas atrás, diante da indignação popular contra o alto custo de vida no país, novos planos de tributação e a hegemonia de uma elite política assolada por escândalos de corrupção.

Na última semana, o Primeiro-Ministro Saad al-Hariri renunciou após protestos em escala nacional sem precedentes, o que intensificou a crise política no Líbano e dificultou os esforços em curso para estabelecer a tão necessária reforma econômica no país.

No último domingo (3), manifestantes contrários ao governo voltaram a tomar as ruas de Beirute e arredores da capital, repudiando a tentativa de Aoun de cooptar para si os movimentos populares, ao colocar-se como avalista das manifestações e de suas motivações contra casos de corrupção sistêmica que assolam o país. Os protestos ocorreram horas antes da montagem de um comício favorável ao presidente libanês.

Categorias
Banco MundialLíbanoNotíciaOrganizações InternacionaisOriente Médio
Show Comments
Show Comments